sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

ESTE BLOG ESTÁ FECHADO ATÉ SEGUNDA ORDEM

Perdão, mas estou sem tesão de voltar a escrever sobre filmes. Grande crime, confesso. Mas qualquer dia posso estar de volta, mas não tão cedo. Obrigado a todos pela visita. Vocês estão
em meu coração. É hora das luzes da sala se abrirem e os créditos subirem...

domingo, 4 de janeiro de 2009

Agora sim...



Finalmente a geração que cresceu assistindo aos clássicos desenhos do super-herói Batman teve um filme à altura do prestígio adquirido ao longo dos anos ao apreciar as aventuras do grande e eterno herói. Em O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008), o público foi ao delírio.
O diretor Christopher Nolan (De Aminésia e também Batman Begins - o primeiro antes deste em questão) trouxe às telas o verdadeiro espirito dark que o homem morcego tinha não apenas em seus desenhos, mas também nas revistas em quadrinhos.

A história do seu segundo filme sobre o Batman (Christian Bale, de Os Indomáveis e Adoráveis Mulheres) traz o seu pior inimigo: O Coringa (interpretado com maestria única pelo falecido Heath Ledger, do ótimo Os Irmãos Grimm, Casanova e o seu maior clássico, O Segredo de Brokeback Mountain). Finalmente os fãs conseguiram ver o verdadeiro personagem na sua face mais podre e encantadora! Coringa é simplesmente mortal, veroz e espetacularmente maquiavélico, pois tudo que se passa no longa foi cuidadosamente pensado pelo vilão... até o herói mascarado faz mil trajetos para enganar o inimigo, mas ele já havia pensado neles todos.

Após a vitória de Batman sobre o crime em Batman Begins, Coringa estudou tudo durante um ano e decidiu roubar milhões de um banco - no inicio do segundo - e distribuir entre os vilões para juntos tomarem conta da cidade. Enquanto isso surge um grande promotor chamado Harvey Dent (Aaron E. Eckhart, de Obrigador Por Fumar) que ao lado do herói da cidade e do Comissário Gordon (Feito pelo mestre Gary Oldman de JFK - A Pergunta Que Não Quer Calar) decidem varrer o crime da cidade. Nos planos do 'palhaço do crime', está transformar Dent em um homem corrupto... para a cidade perder novamente as esperanças de dias melhores.

Sombrio, tenebroso e extremamente (inteligente) criativo, finalmente o título 'Batman' pode subir vários degraus e sentir-se à vontade, pois outros filmes heróicos como X-men, Super-homem, Homem-aranha, Homem de Ferro, etc... perdem feio e como simplesmente por não conter nenhum índice de realidade em seu conteúdo e possuem apenas o bem contra o mal. Aluguem este dvd e preparem-se para ver super herói com outros olhos.

No dia 22 de janeiro de 2008, o ator Heath Ledger cometeu suicidio devido ao uso absusivo das drogas. O filme ainda não havia estreado no Brasil. Contudo, foi um dos mais (lucrativos) vistos do ano.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Uma Mudança de Hábito Radical


Calma, ok? Vamos ter calma. Não haverá uma terceira continuação dos adoráveis filmes Mudança de Hábito (Sister Act, 1992 e 1993). Por mais que seja duro acreditar, pois é. Como era boa a época em que eu era criança e morria de rir das comédias da Whoopi Goldberg (Ghost - Do Outro Lado da Vida e A Cor Púrpura).

Mas vamos ao que interessa...

Segundo entrevista da grande atriz Whoopi, ela confirmou que levará em breve, possivelmente em 2009, o famoso título "Sister Act"aos palcos do teatro. O projeto contará com a ajuda de Alan Menken - responsável por ter embalado nossas infâncias com ãs músicas dos filmes A Bela e a Fera (Beauty and the Beast, 1991).

O clássico contava a história de uma cantora de boate chamada Delores Van (Whoopi) que se passava por freira em um convento para fugir de criminosos. O seu jeito desbocado acaba entrando em conflito com o conceitudo local, resultando em uma boa dose de comédia. Já o segundo filme contava a entrada da personagem para ensinar cantos evangélicos em uma escola barra pesada.

Era muito bom. Vamos esperar para ver o que esta apresentação teatral vai dar. Pelo o que parece, vai ser tudo de bom. Tomara que transformem em dvd e que ele seja comercializado em terreno brasileiro.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Maravilhosamente real


Martin Scorcese marcou o cinema na década de 70 ao produzir o clássico ‘Taxi Driver’ (Taxi Driver, 1976).

Ele contava a história de um ex-veterano de guerra que ao voltar para a sua cidade natal, Nova York, não recebe o merecido prestigio da sociedade a qual ele lutou. Com isso, ele acaba caindo no esquecimento, tornando-se um motorista de táxi. Entretanto, ele acaba descobrindo que o verdadeiro motivo para a completa ignorância da sua existência está no submundo noturno. Aqui a cidade é contaminada pela violência enquanto jovens garotas tornam-se prostitutas (entre elas uma jovem Jodie Foster, de Valente e do ótimo Contato) e políticos tentam enganar a todos. Com isso, Travis Bickle (numa fantástica interpretação de Robert De Niro, a qual lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator) revolta-se e acaba querendo tirar das ruas toda a violência a qual ele pensou estar escassa.

Considerada uma das maiores obras de Scorcese, o filme já ganhou três versões (acredite se quiser) em dvd. Cada um, com novos extras a serem apresentados, pois todas as palavras da produção, diretor, atores e críticos ao redor do mundo não caberiam apenas em um.

A película é uma saborosa crítica a toda espécie de acomodação e alienação da sociedade. Tenta espelhar-se na figura de todas as pessoas que lutam pelo mundo e ele não sai do mesmo lugar. Em outras palavras: Um filme fantástico.

Recebeu quatro indicações ao Oscar, nas seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Ator (Robert De Niro), Melhor Atriz Coadjuvante (Jodie Foster) e Melhor Trilha Sonora.

Demais!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Fã de carteirinha


Com certeza o filme Caçadores de Emoção (Point Break, 1991) continua sendo até hoje o melhor filme de praia de todos os tempos. Também não é para menos, pois além de ter traduzido o espírito de todos jovens que curtem pegar onda e ficar á toa com os amigos, tinha uma trilha sonora inabalável e também uma história de tirar o fôlego.

O jovem Johnny Utah (Keannu Reeves, da futurista trilogia Matrix) é um jovem rapaz que sempre sonhou em ser policial. No mesmo dia em que consegue entrar para o FBI, recebe o cargo de parceiro de um desacreditado policial meio fora de forma, chamado Angelo Pappas (Gary Busey, dublador do personagem Phil Cassidy do jogo Gta Vice City e Vice City Stories, do Playstation 2). Como primeira missão, ele recebe a ordem de prender um grupo de assaltantes de bancos que já trazem dor cabeça para o departamento policial a cerca de três anos. Pappas alerta para o jovem que tem uma pista meio maluca sobre o bando e isso o faz parecer um palhaço perante os colegas de trabalho: Eles são surfistas e usam o dinheiro roubado para viajar ao redor do mundo para pegar as melhores ondas que a vida pode oferecer. Como ele percebeu isso? Assistindo pelos milhões de vídeos gravados dos bancos a maneira que os espertinhos se movimentavam durante os assaltos.

Com isso, Utah se disfarça de surfista. Começa a ir para a praia todos os dias e paquera, faz novos amigos, aprende várias gírias e começa a se tornar um malandro - para a ira de seu chefe que não aguenta vê-lo chegar no local de trabalho com uma prancha. Para piorar, como o tempo não é amigo de ninguém, ele precisa logo comprovar que o seu parceiro estava certo. Neste meio tempo, ele conhece Bodhi (Patrick Swayze, no melhor papel da sua carreira): Um jovem rapaz líder de uma barulhenta turma que buscam nas ondas uma filosofia de vida.

Será mesmo que os ladrões desse filme são malfeitores?

Dá-lhe anos 90...

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Uma loira no seu porta-malas


Excesso de Bagagem (Excess Baggage, 1997) é um daqueles filmes que prende a nossa atenção por ser criativo e muito divertido.

Ele conta a história de uma adolescente extremamente mimada chamada Emily Hope (Alicia Silverstone, de Batman & Robin e de várias aparições nos vídeos musicais da banda de rock Aerosmith naquela época). Ao descobrir que ela não terá mais a atenção do seu rico pai, planeja o seu próprio seqüestro. Para isso, ela forja um telefonema e se tranca no porta-malas da sua BMW. Ironicamente, alguns segundos depois, o belo carro é levado embora por um ladrão (Benicio Del Toro, de Porcos & Diamantes). Bem, quem gosta de brincar com fogo se fere, né? Mas como todo bom filme que se preze, os dois acabam se apaixonando e a moça acaba fugindo ao lado do seu novo amor da polícia que o seu pai botou para "salvá-la"... nossa, que história, hein?

Muitas perseguições, paixões e uma ótima dose de comédia... um excesso de bagagem que você irá demorar para tirar da sua vida.

Hoje em dia eu tenho esse filmão e ainda o acho super divertido. Ah, parte disso também deve-se ao fato da música One Headlight da banda The Wallflowers ser parte da fantástica trilha sonora. Para quem não lembra muito bem dela, ela tocou muito, mas muito mesmo nos últimos verões dos anos 90 aqui no Brasil. Já perdi as contas de quantas vezes estava na praia naquela época e ela tocava. Era a cara das praias.

Na capa do dvd há a frase:

“A mocinha é seqüestradora. O mocinho é ladrão de carros. Imagine os vilões desse filme”

Para completar o seu passatempo, prepare alguns sanduíches e pegue um refrigerante bem frio. Para melhorar, reserve tudo isso para uma tarde de sábado. Essas dicas são de graça, ok? Pois é, eu também adoro vocês!

Ensinamentos


Lembro-me bem do ano de 1999 quando meu pai (sem querer fazer propagandas alheias) fez a assinatura da Sky. Fiquei tão contente, porque só assim poderia assistir aos melhores filmes que eu lia na Revista Set (quando ela era a minha favorita). Fora isso, eu ia finalmente ter acesso aos vídeos musicais da MTV, ver séries como Seinfeld, Mad About You, Buffy, A Caça-Vampiros, Arquivo X, Barrados no Baile, Pacific Blue, entre outras coisas que para mim tornaram-se indispensáveis.

Naquela mesma semana, ao passar por entre os canais do Telecine, deparei-me com o filme Minha Vida (My Life, 1993). Nossa, foi como um baque. Sofri bastante ao decorrer da película. Ela conta a história de um jovem executivo chamado Bob Jones (interpretado por Michael Keaton, de Batman e Batman e O Jornal) que da noite para o dia, descobre estar com câncer. Sua mulher, Gail Jones (Nicole Kidman, do divertido A Bússola de Ouro), o encoraja a combater essa terrível doença ao revelar que está grávida. De uma forma ou de outra, Bob começa a dedicar-se mais a vida, mas ele sabe que seus dias estão contados. Com medo de não sobreviver aos próximos nove meses para conhecer o seu primeiro filho, ele grava uma série de vídeos sobre os principais ensinamentos sobre a vida que um pai precisa mostrar para o seu filho.

Tocante, muito tocante. Extremamente profundo. Em várias cenas, é possível sentir o tremor dos personagens em volta desses doces e traumatizantes momentos. Na época, lembro que contei a todos os meus amigos sobre esse filme e como ele poderia mudar suas vidas.

Quando a vida nos chama, é preciso deixar na terra um pouco de nós. Quem sabe para os outros isso não signifique muito? Aluguem esse filme e saibam exatamente do que estou falando.

Agradeçam-me depois, amigos.